0
Shares
PinterestGoogle+

O café é um grão que em sua melhor forma fornece um dos melhores cheiros e uma das melhores bebidas. Beber café se tornou mais que um hábito, e sim algo prazeroso e muitas vezes necessário! Não é atoa que tem duas datas comemorativas: dia 24 de maio, no qual celebra o Dia Nacional do Café e hoje, 14 de abril, o Dia Internacional do Café.

Jeferson Rossi Furtado é um exemplo de pessoa que adora beber café e não vivem sem. “No Brasil se toma muito café, mas não diferente do resto do mundo. Faço viagens pelo mundo com minha bicicleta e vejo quanto esse hábito é mundial, variando apenas os tipos e os sabores. Tenho 51 anos e o hábito do café já está comigo desde, aproximadamente, os 15 anos. Tomava diariamente café solúvel em copo de vidro, depois fui mudando, de forma que hoje em minha rotina tomo somente café passado em filtro”.

A bebida é a segunda mais consumida no Brasil, ficando atrás apenas da água e seu aroma no momento em que está sendo passado agrada até quem não gosta de tomar café. Seu cheiro é irresistível e seu líquido não deve ser bebido, mas sim saboreado.

Jeferson usa a bicicleta como estilo de vida e o café está sempre presente em suas andanças pelo mundo. Ele afirma que a bebida é um restaurador físico e mental e indispensável quando se faz uma parada. “Na minha mais recente viagem, que foi para Cuba, fiz uma volta completa de bicicleta na ilha. Foi um país perfeito para mim no quesito café na estrada. Em todo lugar tem e é até fonte de renda para muitos. Havia pequenos postos de venda, exclusivos, oferecendo pequenas xícaras de café. Vi inclusive placas na beira da estrada, diferentes das nossas, nas proximidades de algumas cidades e onde o desenho era uma xícara de café. Lá o café é forte e doce, perfeito para o meu gosto e produzido na lendária Serra Maestra. Na cidade de Guantánamo experimentei o café diabólico que é bem forte e com rum”, conta.

“O café também é muito usado em músicas e poesias. Bebida com poderes estimulantes e que só nos transmite bem estar. Assim sigo nas minhas jornadas, sempre regadas com o bom café. Muita gente não sabe, mas em nossa cidade temos uma indústria de café: o Café Pfitscher, de excelente qualidade. Além de vários bares e restaurantes especializados nesse líquido precioso, onde oferecem muitos tipos, um melhor que outro. Beba café, eu recomendo, não vicia. Tomo todos os dias há quase quarenta anos e não viciei ainda”, brinca Jeferson.

Previous post

Integração sobre rodas

Next post

Índice de crianças obesas em Santa Rosa preocupa

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *