Home»Destaque»RS retoma bandeira laranja para Santa Maria e Santo Ângelo e altera cronograma do distanciamento controlado

RS retoma bandeira laranja para Santa Maria e Santo Ângelo e altera cronograma do distanciamento controlado

1
Shares
Pinterest Google+

O governo do Rio Grande do Sul atualizou as bandeiras do distanciamento controlado de duas regiões que haviam sido orientadas a reforçar as medidas de prevenção contra o coronavírus, ainda no sábado passado. Santa Maria e Santo Ângelo deixaram a bandeira vermelha, que denota risco alto, passando para bandeira laranja, de risco médio. Permanece inalterada a avaliação de Uruguaiana e Caxias do Sul, que seguem com a cor vermelha.

Em live nas redes sociais, o governador Eduardo Leite apresentou dados embasando o recálculo e explicou que sete leitos de UTIs já haviam sido disponibilizados, na sexta-feira passada, em Santa Maria, embora não computados pelo sistema. Segundo Leite, as atualizações de dados também em Santo Ângelo mostraram que a região apresentou estabilização, “sem clara tendência de aumento” de casos de coronavírus, o que também alterou o patamar de risco do local.

A região da fronteira Oeste segue com a bandeira vermelha em razão do aumento de internações pela Covid-19, ainda que tenha ativado novos leitos de UTI. Já a região de Caxias do Sul segue vermelha por apresentar bandeira preta em cinco dos 11 indicadores, como ocupação de leitos de UTI e projeção de número de mortes. A decisão vale até o fim da semana que vem.

O governador anunciou ainda que foram alteradas as datas divulgação das bandeiras de riscos do Distanciamento Controlado. A divulgação das bandeiras passa a ser feita na sexta-feira e não mais no sábado. As medidas, que antes valiam a partir de segunda-feira, começarão a vigorar na terça seguinte ao anúncio. Dentro desse período, prefeitos e entidades podem contestar os dados técnicos, se julgarem necessário.

“Não faz nenhum sentido nos apegarmos a um formalismo que vai gerar repercussão tão pesada na vida das pessoas e, por mero capricho técnico, ficarmos presos a dados na forma errada, que venham a ter sido lançados, e venham a impor assim um dano econômico a uma região”, reconheceu Leite.

FONTE: Camila Diesel / Rádio Guaíba

Previous post

Márcia pede informação sobre a Praça da Vila Planalto

Next post

APRESENTAÇÃO

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *