Home»Cidades»Bandeira PRETA em algumas regiões do Estado

Bandeira PRETA em algumas regiões do Estado

1
Shares
PinterestGoogle+

A constante redução de leitos de UTI livres e o aumento de casos de contágio e de internação por coronavírus resultaram na primeira identificação de risco epidemiológico altíssimo desde que o modelo do Distanciamento Controlado foi implementado, em maio. As regiões de Bagé e de Pelotas foram classificadas, nesta sexta-feira (11/12), na bandeira final preta no mapa preliminar da 32ª rodada.

Das outras 19 regiões, apenas Cruz Alta recebeu classificação final de bandeira laranja (risco epidemiológico médio). As outras 18 estão na bandeira vermelha (risco epidemiológico alto).

A bandeira preta é a restrição máxima prevista pelo modelo de Distanciamento Controlado, e significa que tanto a capacidade hospitalar como o contágio por coronavírus alcançaram níveis críticos na região.

Caso a classificação para risco altíssimo se mantenha no mapa definitivo, a ser divulgado na segunda-feira (14/12), as restrições mais rígidas serão aplicadas nas regiões de Bagé e de Pelotas a partir da terça-feira (15/12).

O momento é de extremo alerta: o Rio Grande do Sul observou aumento em quase todos os indicadores monitorados pela equipe do Distanciamento Controlado. Houve elevação, nos últimos sete dias, de 14% nas hospitalizações por Covid-19 (de 1.174 para 1.338 casos), que alcançou o maior número desde o início do monitoramento.

Também é o número mais elevado de pacientes em UTI, em leitos clínicos e de óbitos. As mortes cresceram 15% nesta semana, chegando a 409 registros. Como resultado, há o menor número de leitos livres (407) no Estado, bem como a menor razão de leitos livres para cada ocupado (0,44), que baixou de 0,5 também pela primeira vez. Por isso, o governo do Estado reforça a necessidade de a população seguir os protocolos e as regras sanitárias estabelecidas pelo modelo.

Até as 6h de domingo (13/12), municípios e associações podem enviar pedidos de reconsideração ao mapa preliminar para o governo por meio do formulário https://forms.gle/amfsky7ZjRLDdk1G8. Depois de analisados pelo Gabinete de Crise na segunda-feira (14/12), o governo do Estado divulgará as bandeiras definitivas, vigentes de 15 a 21 de dezembro.

SANTA ROSA
Na versão preliminar do Distanciamento Controlado desta semana, a região de Santa
Rosa obtém a mensuração final compatível à bandeira vermelha.
Dos seus quatro indicadores regionais, Santa Rosa alcançou classificação de risco máximo
(bandeira preta) em três deles. É o caso do número de hospitalizações por Covid-19 nos últimos
sete dias, do número de hospitalizações por Covid-19 para cada 100 mil habitantes e da projeção
de óbitos. O indicador do estágio de evolução da doença obteve bandeira laranja.
Houve crescimento nos registros de hospitalizações para Covid-19 nos últimos 7 dias,
que passaram de 10 para 20 registros nesta semana, aumento de 100%. Com o registro de 8
óbitos nos últimos sete dias, houve estabilização em relação aos registrados na semana anterior
(8 óbitos). No caso do indicador de Ativos sobre Recuperados, a região registrou 426 ativos, frente
à 441 da semana anterior, e 1.063 recuperados, representando uma melhora no valor dado pela
razão em comparação a semana anterior.
Destaca-se que a quantidade de novas hospitalizações em proporção da população é
elevada, refletindo na bandeira preta para o indicador de incidência na região.

Previous post

Conab: Brasil produzirá 265,9 milhões de toneladas de grãos

Next post

Obras de infraestrutura reduziram em 11% valor do frete agrícola

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *