0
Shares
Pinterest Google+

A previsão de chuvas expressivas para os próximos dias em várias regiões do Rio Grande do Sul irá ajudar a reverter os efeitos da estiagem de dezembro e primeira quinzena de janeiro. É o que aponta o Relatório Oficial nº 2, elaborado pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), a Emater e o Irga.

Entre esta segunda (27/1) e terça-feira (28/1), o forte calor manterá a possibilidade de chuva de verão, com temperaturas próximas a 35°C na maior parte do Estado. Na quarta-feira (29/1), a propagação de uma área baixa pressão provocará chuva em todas as regiões, com possibilidade de temporais isolados.

A previsão numérica indica que os totais mais elevados de chuva deverão ficar concentrados sobre a Metade Sul e no Oeste do Estado. Os valores deverão oscilar entre 20 e 35 mm em grande parte dos municípios, podendo superar 50 mm em alguns locais da Campanha. No Alto Vale do Uruguai, Região Central, Vale do Taquari e Vale do Rio Pardo, os totais esperados deverão variar entre 10 e 20 mm.

Chuva ajudou

Na última semana, os totais de precipitação registrados amenizaram a condição de estiagem sobre boa parte do Estado, mas, de acordo com o relatório, ainda são necessárias chuvas mais regulares para reverter a situação. Os volumes mais expressivos registrados pela rede Inmet/Seapdr ocorreram em Teutônia (80 mm), Santa Rosa (84 mm) Passo Fundo (86 mm), Bagé (97 mm), Caçapava do Sul (98 mm), Santa Maria (118 mm), Uruguaiana (128 mm) e São Luiz Gonzaga (136 mm).

Situação das culturas de verão

O cultivo da soja chegou a 100% da área prevista para a safra deste ano, com 48% das lavouras em fase de desenvolvimento vegetativo, 39% em floração e 13% na fase de enchimento de grãos. Com as chuvas, a cultura retomou o crescimento.

No milho, que foi a cultura mais afetada pela estiagem, 15% das lavouras se encontram em germinação e desenvolvimento vegetativo, 12% em floração, 25% em enchimento de grãos, 26% maduro, e 22% já colhidos. As maiores perdas ocorreram nas regiões de Santa Maria, Ijuí, Lajeado, Soledade, Porto Alegre e Caxias do Sul.

O arroz, que está atualmente com 66% das áreas em estádio reprodutivo, não sofreu com a estiagem e deve ter produtividade dentro da média histórica.

A situação de outras culturas como feijão (1ª safra), tabaco, olerícolas, frutícolas, pastagens, bovinoculturas de corte e leite estão no relatório completo, que pode ser consultado aqui.

Previous post

Ministério da Saúde revela notificação de caso suspeito de coronavírus no RS

Next post

Vacina desenvolvida nos EUA poderá impedir propagação do coronavírus

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *