Home»Paulo Madeira»POBRES DE NÓS, BRASILEIROS!

POBRES DE NÓS, BRASILEIROS!

2
Shares
Pinterest Google+

Passar por dificuldades, perder conterrâneos e enterrar compatriotas, já se tornou rotina em quase todos os países dos continentes americano, europeu, sul-americanos e até asiáticos. Todos os dias assistimos lamentáveis ‘cerimônias fúnebres’, hospitais recebendo pacientes e UTIs lotadas. Ninguém faz nada para abrandar a crise, o governo entregou a solução (se é que existe) ao cidadão, vale dizer, à população que se defende como pode. Tudo vale, desde que não afete a economia. Estou falando em pandemia, no caso, o COVID19, ainda não cheguei ao coronavírus que é o vírus causador da doença (COVID-19) que dificulta a respiração, infecciona os pulmões e leva o paciente a óbito. O vírus não escolhe nações, raças, ricos ou pobres, ele circula em zonas quentes ou frias. E o pior, é que o vírus é desconhecido, e para ele não há remédios eficientes especialmente se não for estancado nos primeiros sintomas do indivíduo. E vacina não há ainda, e não haverá neste ano em país algum. O que devemos fazer? Seguir as orientações do OMS e dos ministros e secretários da área, quarentena, isolamento social, uso permanente de máscara, higienização permanente e procurar manter-se em casa. Nada mais. Parece fácil, mas não é; precisamos da orientação das autoridades e o exemplo que elas nos passam diariamente. É por isso que não é fácil. Vocês seguiriam o exemplo de Bolsonaro, que abraça, toca e deixa tocar-lhe em concentrações públicas? Você deixaria que alguém aplicar-lhe uma injeção de ‘cloroquina’ sem que até agora não teve comprovação científica da sua eficiência? Pois é, o ‘capitão’ não obedece protocolos, administra remédios e decreta atividades essenciais, como se fosse médico, imunologista ou cientista. E como vocês sabem nada disso ele é, ou foi e nunca passou de ‘praça’ na ativa. Ah! Ele foi parlamentar, mas esse cargo qualquer um de nós pode ter, dependendo da grana disponível. Então, o que estamos assistindo é um festival de ‘bate bocas’, um campeonato de palavrões e de reuniões sigilosas. Assistimos, agressões verbais aos Ministros do STF e um sonoro f….-se quando alguns de seus assessores lhe põem a par da conduta, de governadores, parlamentares de sua base ou de algumas das suas repetidas derrotas nos dois setores, jurídicos e parlamentares. Enquanto isso, estamos indo para o isolamento entre nações, o Tramp já limitou a entrada de vôos vindos do Brasil, nos últimos 14 dias e garante que esse tempo será prorrogado enquanto o País não fizer o ‘dever de casa’. Até o Uruguai já está dificultando a entrada de brasileiros em seu território. A Organização Mundial de Saúde já sentenciou que a maior incidência de coronavírus está na América Latina e o epicentro da pandemia É O BRASIL. Pobres de nós, brasileiros! Até sábado.

Previous post

Brasil, Argentina e Paraguai reunidos no Workshop Internacional de Ideias

Next post

Coluna do Grêmio

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *